A mãe fundadora negligenciada – sociologia e androcentrismo

Harriet_Martineau_by_Richard_Evans

Por Ed Machado para o circuito acadêmico

O silêncio e a ausência costumam ser mais significativos que o dito e o  evidenciado. As histórias oficiais são ritualmente contadas, e acabam sendo naturalizadas e eternizadas. Na iminência de se tornarem inquestionáveis, essas histórias são confrontadas por vozes dissonantes que, embora sempre estivessem presentes, nunca foram de fato ouvidas.

Todos os semestres, nas aulas introdutórias de sociologia, mitos relativos à narrativa histórica desta ciência são perpetuados. Temos o conhecido mito da modernidade europeia, da qual a disciplina seria filha legítima; e o mito dos pais fundadores: Marx, Durkheim e Weber, às vezes também Simmel. Sem questionar, aceitamos convenientemente essas narrativas. Mas seria possível imaginar outras? Para Vineeta Sinha, socióloga da National University of Singapore, não é só possível imaginá-las, como também praticá-las

ler o artigo completo:

http://circuitoacademico.com.br/2015/04/07/a-mae-fundadora-negligenciada-sociologia-e-androcentrismo/

A mãe fundadora negligenciada – sociologia e androcentrismo A mãe fundadora negligenciada – sociologia e androcentrismo Reviewed by davy sales on 05:12 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.